Balance is the key

O mundo parece andar à velocidade de um pião, os dias não me têm rendido, a paciência anda de pavio curto e por mais que queira os projectos e as ideias nunca mais saem para a rua. E acreditem, não há nada que me deixe mais frustrada.

Os desafios

Mudar o blog e estabelecer novas metas e objectivos foi excelente para mim e para o exercício do meu trabalho, que ao fim e ao cabo é  ser blogger e vlogger (mas desculpem a minha ausência pelas terras do YouTube, mas já lá iremos). Contudo, não tenho conseguido fazer tudo o que tinha planeado, acho que a vida se meteu no caminho. Eu trabalho em casa, como devem calcular, e o meu espaço tem de ser tranquilo e organizado para que possa produzir alguma coisa. Mas tive obras em casa, tive a viagem a Praga (que foi um decisão de última hora) tenho a minha mãe com um problema de saúde e o meu irmão em casa a estudar para os exames (aka a jogar LOL e a comer batatas fritas com iogurt, porque era o que a minha mãe comia quando estava grávida, é estranho mas é verdade). Resumindo, tenho a vida cheia de entropias que me bloqueiam o fluxo de trabalho.

A novidade

E, a verdade é que não me tenho dedicado só ao blog e ao YouTube, também tenho andado a preparar um projecto novo que sairá em breve. Palpites? O problema é que há coisas que ficam dependentes de outras pessoas, que se atrasam, que vão de férias, que se esquecem, enfim, eu já queria ter tido o bebé mas estamos em trabalho de parto há mais de um mês. Sim, estou há mais de um mês dependente do trabalho de outras pessoas. Conseguem cheirar o aroma da frustração? A única coisa que me anima é continuar muito apaixonada por aquilo que estou a fazer e a criar.

Os objectivos

Entretanto, não tenho estado no pico de produção, mas tenho estado a mil no que a ideias e a criatividade diz respeito. Quero investir mais na tag #girltalks, quer aqui no blog, quer no YouTube, e conversar mais sobre assuntos relevantes, como menstruação, fertilidade, sexualidade, mamas, etc. Quero ganhar coragem para gravar mais vídeos, não que precise de coragem para enfrentar a câmera, só preciso de coragem para editar os vídeos que gravo, é aborrecido, rouba-me imenso tempo precioso e faz com que a minha paciência fique completamente destruída. Mas, eu encaro cada edição e cada exportação com um sorriso na cara, acreditem eu nado no mar da positividade e da resiliência.

A minha pequena receita para restabelecer o equilíbrio

Posto isto, devo dizer-vos que, um dos primeiros passos que tomei quando percebi que estava a perder o controlo do leme foi retomar o meu ioga antes de ir para a cama, aumentar o consumo de água (em Praga e em Alfama também aumentei o consumo de cerveja, what? a girl has needs!), comer de forma mais equilibrada, respeitar melhor as minhas necessidades, respeitar os meus ritmos, respeitar as necessidades dos outros e aceitar que nem sempre tudo corre como quero nem quando quero, e que nem sempre sou capaz de fazer tudo. But no worries…

No fundo, tudo se trata de equilíbrio, e o equilíbrio é uma coisa que exige constante manutenção.

E vocês, o que pensam sobre equilíbrio e o que fazem para o manter? Acham que vos deixei a pensar sobre isso?
Seguir:
Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.